sábado, 13 de dezembro de 2008

UM DIA NO MUSSULO

Trabalhar como escravos sim, é preciso, estamos conversados! Mas de vez em quando uma escapadela para apreciar as coisas boas da vida, não é crime nenhum. Aqui está um desses dias. Uma tarde no Mussulo : mar, ondas, sol...e copos, porque não?

Nando, o marinheiro

Pôr do sol sobre a Ilha do Cabo (Luanda)

Luanda ao longe. Uma nova cidade, de monumentais edifícios. Outra capital nasce!

O sol intenso.

300 cavalos de potência. É só força!

Nossos pézinhos na hora do relaxe.

Sentindo a força dos motores

Aos comandos do Janneau Cap Camarat 625 WA: uma sensação inesquecível.

Meu amigo António Quaresma apreciando a imensidão do mar

Do Cais de 4 ao Mussulo : km de pura adrenalina

O que se vê a caminho do Mussulo

Luanda que vai ficando para trás

E o fantástico pôr do sol africano, a fechar a jornada












2 comentários:

MESU MA JIKUKA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MESU MA JIKUKA disse...

Vim cá trazido, mais uma vez, pelo Manuel Vieira (da Eclésia). E noto que o Luis é tão bom a contar estórias em prosa quanto em fotos.
É a outra forma de contar e contagiar...
Olha, Director, encontrei coincidências no seu texto sobre o ano verde... Eu tb. escrevi em Dezembro que vou "agriculturar".
É o caminho... o reencontro com a terra, com o húmus... sentir a frescura do orvalho matinal.... É assim no Libolo onde vou "agriculturar". É sempre um prazer lê-lo (ainda que em fotos).